Iniciativas de inovação da Braskem

Os conceitos de inovação estão difundidos por todas as áreas da Braskem
Abgi

Abgi

Time multidisciplinar e especializado em recursos financeiros para inovação, processos e ferramentas.

« Retornar aos conteúdos

O que é inovação para a Braskem?

A inovação é uma forma de pensar e agir que faz parte da essência da companhia. Seu papel tem sido fundamental na trajetória da Braskem, nos fazendo evoluir e entender as oportunidades e o potencial da nossa contribuição para melhorar a vida das pessoas por meio da química e do plástico.

O resultado desse esforço está presente na evolução contínua de nossos indicadores, com foco em eco eficiência e segurança, e também na criação de novos produtos e soluções

Para Braskem a inovação é a aplicação de novas abordagens, métodos ou tecnologias, resultando na evolução, renovação, crescimento e adaptação da organização para gerar valor.  

Há uma área dedicada a inovação? Como está estruturada?

Os conceitos de inovação estão inseridos por todas as áreas da Braskem. Estimulamos os nossos Integrantes a desafiar e serem desafiados, para que possam exercitar diferentes olhares e experiências, construindo novos caminhos de aprendizado. Estamos sempre focados nas oportunidades de trabalho colaborativo e no intercâmbio de ideias e conhecimento, globalmente.

Especificamente existe uma área de pesquisa e desenvolvimento (P&D) com aproximadamente 300 integrantes, 2 centros de inovação e tecnológica, 23 laboratórios, 7 plantas piloto e mais de 200 projetos no pipeline de inovação. Além disso, existe a área de Transformação Digital e o Braskem Labs, uma plataforma de empreendedorismo que acelera ideias e negócios de empreendedores que acreditam em seu potencial de transformar o mundo.

Como mantém o foco e o engajamento de toda equipe para a inovação?

O modelo organizacional da Braskem tem um alto nível de integração aonde a coordenação, planejamento e execução de suas estratégias relacionadas com a inovação reforçam o foco e o engajamento dos times. Existe uma flexibilidade e autonomia dentro das interações dos integrantes dentro como fora da empresa, incentivando aos indivíduos a formular novas ideias e novos jeitos de atuar. Da mesma forma, existe um programa de ação (PA) aonde cada integrante é desafiado com objetivos e metas para incentivar o crescimento profissional como da empresa.

Como lidam com os riscos relacionados ao desenvolvimento de projetos inovadores?

Os riscos são tratados seguindo metodologias de gestão de projetos conforme o  PMBOK ou metodologias ágeis, dependendo do escopo e entregas de cada projeto. Em geral, o processo como são tratados os riscos inclui:

  • O planejamento da gestão de riscos (que inclui uma metodologias e ferramentas),
  • Identificação (que podem ocorrer sob forma de ameaças ou oportunidades), priorização e analises (qualitativa e quantitativa) dos riscos
  • Desenvolvimento de opções e planos de ação como resposta aos riscos
  • Monitoramento e controle dos riscos.

Conte-nos sobre a realização de projetos em parceria como universidades, ICTs ou startups

A Braskem trabalha com o processo de inovação aberta, aonde existem diversos projetos sendo desenvolvidos em colaboração com universidades (nacionais e internacionais), startups e outras parecerias externas.  A modo de exemplo, desde 2018 temos parcerias com MIT e diversas startups do maior hub de inovação do mundo em Boston (USA), projetos de renováveis com a Universidade de Minnesota (USA), parcerias sobre reciclagem com a Universidade de Bath and Machester (UK) e Tecnogreen USP (Brasil). Como destaque, a Braskem tem um acordo de cooperação desde 2017 com a Haldor Topsoe (líder mundial em catalisadores e tecnologias para indústrias químicas e de refino) com foco em desenvolver tecnologia capaz de converter o açúcar em MEG dentro de uma única unidade industrial.

E o que a Braskem enxerga de tendência para o mercado que atuam nos próximos anos?

A área de inovação tem direcionado seus esforços para desenvolvimentos que vão além do plástico, focando no posicionamento da Braskem frente às mudanças de médio a longo prazo. Entre as megatendências, a Braskem dedicou esforços para o estudo sobre o futuro da mobilidade. Sobre este aspecto, tecnologias disruptivas e regulamentações estão provocando mudanças drástica nos próximos anos, podendo impactar a indústria de petróleo, criando novos players e transformando a indústria existente.

Outra mega tendência trata-se de desenvolvimento tecnológico da manufatura aditiva (impressão 3D) alinhado com a crescente demanda de mercado (Industria e Makers) por produtos que combinam versatilidade, performance e competitividade avançando da prototipagem para uso em escala industrial. Trata-se de oportunidade de desenvolvimento de negócios em indústria emergente com elevado potencial de geração de receita adicional, uma vez que este mercado de impressão 3D vem crescendo a taxas de 27 a 30% ao longo dos últimos 30 anos e as projeções apontam para crescimento na mesma ordem de grandeza nos próximos 10 anos.

Quais são os principais desafios para a empresa inovar no Brasil?

  • Profissionais altamente competitivos para a inovação
  • Produção de conhecimento junto com universidades e parques de P&D
  •  Estreitamento de trabalho cooperativo com o setor privado, setor público e setor da educação.
  • Economia aberta a conhecimento internacional.
  • Processos legais/regulatórios para fomentar a internacionalização da inovação e assim o setor privado e o setor educativo absorver tecnologias avançadas
  • Evitar a cartelização e regularização de mercado, estimulando a concorrência e competências para o desenvolvimento
  • Aprimorar a legislação de direitos de propriedade intelectual

Qual a sua visão sobre as tendências de fomento ao PD&I no Brasil e nas áreas de atuação da Braskem?

Hoje vejo várias oportunidades na linha de benefício fiscal, tendo como a principal a Lei do Bem, acredito que o processo inovativo irá desacelerar em virtude da economia mundial, que está sofrendo com a pandemia, porem agora é um bom momento para identificar fragilidades do sistema de fomento e planejar uma retomada com linhas que façam sentido para as empresas de base e fundamentais para a população.

Manoel Alexandre da Silva Te é Innovation Management Coordinator na Braskem, graduado em Ciências Contábeis pelo Centro Universitário Capital e em Tecnologia da Informação na Universidade Cruzeiro do Sul, possui MBA em Gestão de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Posts Relacionados

Comentários